Portfólio: Como ficam os pais quando os filhos crescem e vão embora?

Esta matéria foi publicada no Pleno.News em junho/2018















Depois que os filhos crescem e vão viver suas vidas longe de casa, muitos casais se deparam com a “síndrome do ninho vazio”. O termo popularmente usado para indicar um dos períodos mais desafiantes na vida dos pais, faz com que muitas famílias percam o ritmo do casamento. Para superar essa crise matrimonial e fazer com que seu casamento continue bem ou até melhore após a saída dos filhos, a pastora Léa Mendonça conversou sobre o assunto com o portal Pleno.News.


– Favoreça o seu parceiro. Sempre! Relacionamento é vida em ação – explicou.

Para a cantora, casada com o pastor Sérgio, a vida conjugal depois da saída dos filhos depende muito de como o casal se comportava antes de os filhos saírem de casa.

Ela aponta que a lição do “ninho vazio” pode ser a de que os pais precisam se esforçar para construir mais tempo juntos a partir de agora:


– Eu e meu marido estamos casados há 28 anos. De lá para cá, as coisas só melhoraram, principalmente depois que meus filhos cresceram e foram viver suas vidas. Nós viajamos mais juntos, temos mais liberdade em nossa intimidade a dois, conversamos muito, e sempre nos respeitamos – conta Léa, que tem quatro filhos adultos, sendo três casados.


Se o seu casamento está passando por algo parecido, ele pode voltar a ser como era antes. Conheça alguns motivos, citados por Léa, que diariamente, lida com diversos tipos de casais na igreja onde pastoreia, no Rio de Janeiro.


O QUE VOCÊ PRECISA SABER


Por muito tempo os filhos foram prioridade

Com boas intenções, a maioria dos pais vê os filhos como prioridade no casamento. Resultado disso é o casal se acostumar com o cargo de pai e mãe e se afastar das responsabilidades de marido e mulher. Isso fica bem evidente quando os filhos saem de casa. Léa explica:


– Tem mãe que favorece os filhos. O marido vem sempre depois. Eu e meu marido nunca fizemos isso. Primeiro na minha vida é meu marido. Porque quando os filhos crescem, minha companhia será ele.


Alguns casais não sabem mais o que fazer juntos na nova fase da vida

Muitos casais quando se veem diante dessa situação têm a impressão de que nem se conhecem mais. Chegam a pensar que estão casados com uma pessoa totalmente diferente. A sensação é de que parecem ser apenas conhecidos que moram juntos numa mesma casa. A cantora é enfática nesse aspecto:


– Saber separar o lugar do filho no casamento é primordial. Quarto do casal é do casal. Jamais coloquei meus filhos para dormir entre nós dois. Porque se não tivermos nosso momento a dois, com o tempo seremos “irmãozinhos”. Isso é altamente prejudicial para um relacionamento.


O QUE VOCÊ PODE FAZER


Aceite a mudança

– É claro que você sempre vai ser mãe ou pai dos seus filhos. Mas, agora que eles cresceram, sua função é apenas aconselhar, não supervisionar. Se for assim, sua relação com eles vai permitir que continuem próximos de você e do seu cônjuge – explica a cantora.


Se posicione como “Eu não sou mais prioridade”

– Enquanto a mãe ou o pai achar que tem prioridade na vida dos filhos até depois de casarem, eles acabam se metendo na vida dos filhos, dando opinião sobre a vida da nora… Eu não tenho problema com as minhas noras com relação a casamento. Se brigarem, que briguem pra lá, e que façam as pazes pra lá também! Só quero meus filhos felizes e reunidos comigo e meu marido nos fins de semana e feriados – brinca a cantora.


Falem sobre suas preocupações

Como casal, vocês precisam conversar mais. Terem tempo para expor como estão se sentindo depois que os seus filhos forem embora. Léa Mendonça aconselha que é necessário escutarem um ao outro com atenção, serem compreensivos e pacientes. Talvez demore um pouco até se reaproximarem, mas o esforço valerá a pena.


– Mulher quando está com problemas, chateada, gosta mais de desabafar, falar… Já os homens, costumam ficar mais calados. Então, não podemos forçar os limites um do outro. Pensamos diferentes, mas tem que existir o respeito. Isso que dará o sentido para a relação – avalia a pastora.


Lembrem-se da história de vocês

Pense nas qualidades um do outro, naquelas que mais chamaram sua atenção no cônjuge quando se conheceram. Se lembre de como vocês eram felizes e como superavam as dificuldades juntos desde o início.


– Eu e Sérgio somos carne e unha mesmo. Se existisse alma gêmea, porque eu sei que não existe, nós seríamos! Ele é o meu oposto. Mas, por conta disso, a gente se encaixa muito bem… se complementa – descontrai Léa.


Ela finaliza:


– Todo casal pode ser muito feliz nessa nova fase. Se houver essa reaproximação um do outro, vocês vão ter um casamento ainda mais feliz e isso vai reacender o amor que tinham no começo – conclui.


#portfólio #leaMendonça #jornalismoonline #reportagem #produçãodeconteúdo

0 visualização0 comentário
 
  • YouTube
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Facebook
  • Instagram
  • Instagram

©2020 por Pauta na Mesa. Orgulhosamente criado com Wix.com